Quarta, 13 Novembro 2019

Cleber Roberto Pires
Presidente 2012 e 2014 - 2014 a 2018

Mineiro de São João Evangelista, Cléber Pires chega a Brasília e sua primeira atividade no comércio do DF foi na Churrascaria Dom Bosco e bar “Canecão Chopp”, na cidade administrativa do Gama. A família crescia e com ela novas necessidades precisavam ser preenchidas. Foi quando optou por vender carros usados no antigo centro comercial do Setor Oeste do Gama conhecido como “ o Pé de Pau”. Cleber Pires, com o passar do tempo, foi tomando gosto pela nova profissão e passou a lucrar muito com o novo negócio. Foi então que decidiu mudar para o Plano Piloto e iniciar uma revenda de veículos mais organizada, aumentou o empreendimento e deu vida a William's Veículos na Quadra 711 Norte. O empresário decidiu encorajar outros amigos ligados à revenda de usados e criou a AGENCIAUTO/DF, onde em 1998, foi eleito presidente. Cleber Pires é o grande responsável pela criação de um setor em Brasila, o Automobilístico, deu se transformou na Cidade do Automóvel.

Em 2012, Cleber Pires chega à presidência da Associação Comercial do Distrito Federal (ACDF), revitalizou a Assessoria de Comunicação, reativou a Revista Vanguarda, disponibilizou o atendimento jurídico para o associado, implantou cartões de vantagens para os filiados à entidade e com um grupo de jovens empresários, criou a ACDF Jovem. Sempre em contato direto, desde o Governador até o mais humilde servidor publico de Brasília, Cleber Pires é o tipo do empresário que chama a atenção pelo comportamento destemido, arrojado e acessível.

 

 

Danielle Bastos Moreira
(Presidente 2008 a 2012)

Danielle Bastos Moreira, 42 anos, é casada e mãe de três filhos. Nascida em Brasília, seus pais, Vítor Moreira e Maria Albertina B. Moreira, vieram para a cidade a pedido de ex-presidente Juscelino Kubitschek para montar a primeira livraria da capital, a Livraria Eldorado. Danielle tornou-se advogada e pós-graduada em Direito Constitucional, Direito do Trabalho e Processo do Trabalho sendo proprietária do escritório Danielle B. Moreira Consultoria Jurídica, onde se dedica ao direito empresarial.

Ao longo de sua trajetória, Danielle sempre demonstrou preocupação com questões sociais, tendo sido recentemente homenageada pela Câmara Legislativa por trabalhos desenvolvidos na região administrativa do Varjão, além de desenvolver, em conjunto com a Associação de Amigos do Deficiente Visual (AADV), um projeto de inclusão e capacitação de deficientes. Na Associação Comercial desempenhou diversas funções, como diretora cultural e vice-presidente. Em 2008 tornou-se a primeira mulher a alcançar a presidência da ACDF em 52 anos de existência da instituição. Acumula ainda o cargo de vice-presidente da Câmara de Comércio Brasil-Portugal, além de membro do conselho deliberativo do SEBRAE/DF bem como da Comissão de Mediação e Arbitragem da OAB/DF.

 

Fernando Pedro de Brites
(Presidente de 2001 a 2003 de 2003 a 2008)

Português de Beira Alta, Fernando Brites chegou ao Brasil em 1953, com seu pai, aos sete anos de idade. Morou em São Paulo, onde formou-se na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). Em 1967, começou a trabalhar em uma empresa de móveis para escritório. Em 1973, montou com amigos, a Mesa Móveis.

Especializado em concorrências públicas, veio para Brasília em 1979. Aqui, criou a Futura Interiores, representante da Italma Indústria de Móveis, da qual era diretor comercial.

Começou a participar das reuniões da Associação Comercial, em 1983, e, no mandato de Josezito Andrade, tornou-se diretor. Em 1994, tornou-se vice-presidente, cargo no qual permaneceu até 2001, quando foi elevado à presidência da casa.

 

Carlos Magno de Melo
(Presidente entre 1990 e 2001)

Carlos Magno de Melo nasceu em Piracanjuba, Goiás. Filho de fazendeiros, veio para Brasília em 1972, onde estudou e se formou em medicina pela Universidade de Brasília (UnB).

Cidadão honorário de Brasília, foi presidente da ACDF entre os anos de 1999 e 2001. Em sua gestão, foi criada a Câmara de Arbitragem da Associação Comercial.

Além de médico, Carlos Magno é também empresário rural e escritor. Publicou, entre outras obras, O Espírito do Rabo do Fogão e Bar Castelo, ambos sobre a cultura e as riquezas o interior do Centro- Oeste.

 

Josezito Nascimento Andrade
(Presidente entre 1993 e 1995)

Nascido em Jequié, na Bahia, Josezito Andrade chegou a Brasília em 1961, junto com a família de seis irmãos. Trabalhou como vendedor até abrir, em 1969, seu primeiro empreendimento, a Spaço Móveis Ltda. Sempre atuando no ramo de móveis, abriu em 1974 a loja Collection, que em 1986 daria origem a uma fábrica de móveis.

Começou a participar da Associação Comercial na década de 90, sendo rapidamente eleito vice-presidente e, logo em seguida, tornou-se presidente. Seu mandato ocorreu entre os anos de 1993 e 1995, e caracterizou-se pela ampla defesa dos interesses da classe empresarial, atuando em favor da redução de impostos, negociação de dívidas e em favor de benefícios fiscais.

Foi também fundador da Associação Cristã de Moços (ACM) em Brasília, vice-presidente da Federação das Indústrias do Distrito Federal (Fibra) e presidente do SEBRAE do Distrito Federal, do qual hoje é conselheiro.

 

Nurí Andraus Gassani
(Presidente entre 1989 e 1993)

Engenheiro, mineiro de Uberlândia, Nurí Andraus é lembrado por todos que conviveram com ele como uma das mentes mais privilegiadas do empresariado candango.
Idealista, sempre acreditou na possibilidade de existência de um capitalismo popular. Foi ele quem levantou, em Brasília, ao lado do senador Lindberg Aziz Cury, a causa da reforma tributária em sua expressão mais, com a implantação do imposto único.

Presidente da Associação Comercial do Distrito Federal entre 1989 e 1993, era um atento observador das causas agrícolas, o que o levou a se tornar presidente do Sindicato Rural do Distrito Federal e, mais tarde, secretário da Agricultura do DF. Sua atuação foi reconhecida pelo então presidente Itamar Franco, que o convidou para assumir o ministério da Agricultura, em 1993.

 

Lindberg Aziz Cury
(Presidente entre 1977 e 1989 e entre 1995 e 1999)

Lindberg Aziz Cury foi o presidente de maior mandato até hoje na Associação Comercial do Distrito Federal. Eleito pele primeira vez em 1977, foi eleito sucessivas vezes até 1989. Mais tarde, a pedido dos associados, voltou ao cargo em 1995, permanecendo até 1999.

Goiano de Anápolis, Cury chegou a Brasília em 1960. Aqui abriu a Planalto Automóveis, revendedora da Willys Overland e, depois, da Ford. Ajudou a criar os primeiros sindicatos patronais que deram origem à Federação do Comércio do Distrito Federal, da qual foi o primeiro vice-presidente.

Foi o primeiro secretário de Comércio, Industria e Turismo do Distrito Federal. Senador da República, aprovou o Fundo Constitucional do Distrito Federal. Mais tarde foi secretário de Desenvolvimento Econômico do DF, de Relações Institucionais e de Cooperação entre Poderes.

 

Vicente de Paula Araújo
(Presidente entre 1969 a 1977)

Nascido em São Gotardo, Minas Gerais, Vicente Araújo chegou a Brasília antes mesmo de sua inauguração, em 11 de janeiro de 1958. Instalou-se no Núcleo Bandeirantes, então Cidade Livre, onde inaugurou, no mesmo ano, uma loja de materiais elétricos, s Casa Araújo, que mais tarde se tornaria a Elétrica Araújo, hoje uma das mais tradicionais do ramo em Brasília.

Na capital, casou-se e teve três filhos. Participou da Associação Comercial do Distrito Federal desde seus primeiros dias. Na entidade, assumiu diferentes cargos na diretoria até se tornar presidente, em 1969. Em seu mandato, a Associação realizou uma de suas mais importantes conquistas: a construção do Palácio do Comércio, sua sede definitiva, inaugada em 24 de novembro de 1974.

Foi de Araújo também a iniciativa de realizar, em 1972, o Encontro Nacional para Estudos dos Problemas dos Menores (Enceprom). Alem disso, foi vice-presidente da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB).

 

 

Ildeu Cordeiro Valadares
(Presidente entre 1966 e 1969)

Entre 1966 e 1969, a Associação Comercial foi presidente novamente por um mineiro. Ildeu Valadares era da histórica cidade de Pompéu, terra de Dona Joaquina do Pompéu, matriarca lendária do oeste de Minas Gerais.

Valadares Chegou a Brasília em 1957, com a firma Móveis do Planalto, mais tarde Moplan. EM 1964, foi eleito membro do conselho fiscal da ACDF, tornando-se presidentes em 1966, sendo reeleito em 1968. Sua passagem pela casa foi marcada pela firmeza de suas atitudes e pelo dinamismo de seu trabalho.

A gestão de Ildeu Valadares ocorreu em um momento delicado da consolidação de Brasília. Ele, com muita astúcia e competência, soube atrair novos associados, multiplicando o quadro associativo. Foi em sua gestão, também, que a Associação Comercial adquiriu o terreno onde ergueu sua sede definitiva, o Palácio do Comercio.

 

José dos Santos Moura
(Presidente entre 1965 e 1966)

Mineiro de Pindari, José dos Santos Moura é membro nato do Conselho Superior da Associação Comercial do Distrito Federal. Passou a integrar a diretoria da casa em 1963, tornando-se vice-presidente no ano seguinte e assumindo a presidência nos anos de 1965e 1966.

Mesmo após seu mandato, continuou um ativo trabalhando pelas causas da ACDF. Na década de 70, assumiu a presidência da Cooperativa Habitacional dos Associados da ACDF (COHABIBRAS), ajudando a financiar imóveis para centenas de associados. Em sua gestão na cooperativa, entregou apartamentos no Guará.

Mais recentemente, em 1997, foi nomeado árbitro da Câmara de Arbitragem da Associação Comercial do Distrito Federal, especializado em causas comerciais e fusão, cisão e incorporação de sociedades mercantis.

 

Paulo Guaraciaba Filho
(Presidente entre 1964 e 1965)

Segundo presidente da Associação Comercial do Distrito Federal foi, antes tudo, um pioneiro e forte defensor de Brasília. Industrial e homem de empresas, criou a Da Benção, empresa do ramo de materiais de construção civil.

Diretor da ACDF em 1962, tornou-se presidente no ano seguinte. Em 1964, nas eleições realizadas em janeiro, foi elevado ao cargo de presidente, no qual permaneceu até o ano seguinte.

Teve seu nome ligado a várias entidades representativas da cidade. Rotariano, governou o distrito 453, sendo empossado nos Estados Unidos. Foi também juiz da Junta de Recursos Fiscais, presidente do Conselho Fiscal do Banco de Brasília (BRB) e conselheiro da Companhia do Desenvolvimento do Planalto Central (Codeplan), além de receber diversas homenagens por suas ações em favor de Brasília.

 

 

Antonio de Paula Pontes
(Presidente entre 1957 e 1964)

Goiano de Vianópolis, Antônio de Paula Pontes chegou à Cidade Livre, hoje Núcleo Bandeirantes, no dia 9 de fevereiro de 1957. Funcionário do Banco da Lavoura de Minas Gerais, que mais tarde se transformou no Banco Real, foi enviado de Anápolis com a missão de abrir e comandar a primeira agencia bancária do lugar.

Em Brasília, propôs a criação de uma associação de comerciantes, que no dia 16 de Julho daquele mesmo ano, foi constituída a como Associação Comercial de Brasília. Manteve-se presidente da associação até 1964, quando ela já havia mudado de nome para Associação Comercial do Distrito Federal. Mesmo saindo da presidência, no entanto, nunca deixou de participar das atividades da casa.

Trabalhou no Banco da Lavoura até 1967, quando decidiu sair para se dedicar aos próprios empreendimentos, com destaque para Empresa Brasileira de Empreendimentos Gerais, a EBEG Engenharia.

Últimas Notícias

ACDF LOGOMARCA 1 Branca 2

ACDF em ação pelo Distrito Federal.

Contato

SCS Quadra 2 Bloco B
Ed. Palácio do Comércio
1º andar - Brasília, DF
CEP: 70318-900

Telefone: (61) 3533-0400
E-mail: contato@acdf.com.br